pleasure

12 05 2014

Let’s speak the universal language: pleasure. 

 

(ao fundo um chili out…)





Nunca foi. Não é.

30 04 2014

O meu medo é a conta ser:

-Se não for, que não seja logo de vez.

-Nunca foi. Não é. Não será.





<3

30 04 2014

Sou um animal sentimental
me apego facilmente ao que desperta o meu desejo!
[…]
Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade,
tudo está perdido mas existem possibilidades!!!





Rabiscos não-ditos e não-enviados.

30 04 2014

Eu precisava falar com vc coisas que não consegui no último encontro.

Enfim, não sei como te falar, mas pra mim tem sido estranho te ver sem poder te tocar como eu te desejo.

É estranho não poder sentir de perto as borboletas que não cansam de se ouriçar nas lembranças que tenho de sua não-presença.

Tomamos já algumas vezes em alguns momentos rumos muito distintos, diferentes e distantes.

Por um lado isso me ajudou a desconstruir, a acalmar as borboletas, a tranquilizar a mente e o coração.

Mesmo que com brechas de vontade, de desejo, de saudade, mas a distância e os rumos distintos ajudaram a amenizar o outro lado que é o sentimento de não ter por perto sempre, de não poder tocar como eu te desejo, de temer ultrapassar os limites perigosos de quando se gosta e quer bem demais.

Já havia decidido que não queria mais dar passos onde a perna não coubesse.

Mesmo mais jovem e tão jovem, já calejei meu coração e minha mente na vida por ter feito esse tipo de opção gostosa, mas arriscada demais.

Ainda curo feridas de quedas passadas.

Não sei o que é esse rabisco.

Mas são coisas que tomam a minha mente e o meu coração nesse momento pós-reencontro – mais um.

São sentimentos que em diferentes momentos e de diferentes maneiras voltam a ocupar parte do meu tempo e da minha vida.

Tudo bem construído por mim. Eu sei. Não duvido.

Tudo que pode ser desconstruído – se assim quiser. Também sei. Não duvido.

Mas será que é isso mesmo? Será que não pode ser diferente disso? Pensar que não me incomoda.

A ressaca de cada reencontro tem me deixado confuso de como sentir no meu coração tão racional-sentimental.

Enfim, eu só preciso dizer que eu te amo – tanto.





#PorUmProjetoDeGeração – Juntas Podemos Muito Mais! – #PTBahia

7 11 2013




3 05 2012

http://palcomp3.com/marciacastroart/

De Pés No Chão
Márcia Castro

Sim, eu sou um deles
E gosto muito muito de sê-lo
Porque faço coleção
De lacinhos cor-de-rosa
E também do sapatão

Mas o que eu quero mesmo
É por os meus pés no chão
É só questão de gosto
Lacinhos cor-de-rosa ficam bem
Num sapatão

Eu nasci descalça
Pra que tanta pergunta?

– – –

Só a título de registro histórico. Esta música traz em sua letra uma das mensagens mais bem elaboradas sobre sexualidade.

Sapatão? Lancinho cor de rosa?

Eu nasci descalça, pra que tanta pergunta?

Ui!





6 anos

27 03 2012

Fazem 6 anos! Entre momentos de muitos posts, de poucos posts, de muitas idas e vindas. Fazem 6 anos que escrevi no meu primeiro blog ainda no blogspot as minhas viajens, inquietações e sonhos. De um jeito singular e virginiano, buscando uma perfeição que apesar de saber que não chegará vive a ser buscada. Porém, assim como eu, meu Blog continua sendo uma criação inacabada, que espero, nunca tenha uma chatice de ponto final. Boa leitura.