Ecos… Egos…

22 11 2007



E o homem caiu
E o verso saiu
A dor… acabou?
Chega de cus!

Sete, oito e noventa e seis
A inversão das idéias
O rosto dele
O cheiro na mão.

Pequenos avisos de mim
para meu pobre ego

Uma puta busca à vida
pelo trabalho e sexo

Uma poesia vaSia!
Uma troca de “d” com “s”
(Ou de “c” com “g”)
Uma perneta, uma permuta… transformado
Transfigurado!
Em quê?


Anúncios