MEGA…

31 05 2010

MEGA adoro ver
MEGA quero o bem
MEGA quero por perto
MEGA faz bem
MEGA adoro
MEGA, saudade
MEGA.

se amanhã não for nada disso, caberá só a mim esquecer…

Anúncios




momentos 3 ou 4, n lembro.. rs

30 05 2010

se a vida é criar personagens, imagina uma Vina burguesa, chata, nada lhe convence, tudo do bom, do melhor, do mais fino luxo (ui!) e eu na mais fina usuária das roupas e carros e tal.

enfim, imaginei o inverso do que sou e dei graças ao domingo, dia lindo, de sol, com gorets uo, mas ótimo.. tranquilo.. nossa, muito tranquilo.. sou capaz de dormir até de tão tranquilo.. rsss

enfim, preciso de pouco pra ser feliz, desculpa-aê.

enfim, feliz! rssss





momentos 3 – gorets

30 05 2010

quem chamou elas aqui? rsss

domingo, gente.. vai ler um jornal. sei lá. rss





momentos 2

30 05 2010

e aí varias coisas fazem parte desses momentos… nao é a primeira, mas salve engano é o quarto ou quinto post que coloco loka (ups!!! tssss… rss).

e faz parte também compartilhar que o primeiro porre do diretor foi comigo.

recomendei água e descanso.

água. vou beber mais um pouco.

enfim… .. .. .





momento…

30 05 2010

sempre achei importante saber expressar o momento que estamos vivendo..

agora, por exemplo, acabei de fechar mais um virus do windons = oh! sistema operacional uo! – e continua frito nessa sala. ui! ui! uiiii!!!

enfim, sei que alguns me entendem e eu, para mim mesmo, quero preservar esse momento do meu blog. rss

ups.. mais um virus… – epa! o despertador… … .. .





horoscopo…

30 05 2010

É curioso observar, Vinícius, como muitas vezes passamos dias, às vezes até meses e anos mergulhados numa chateação ou ressentimento. Remoemos aquilo, até que de repente – bum! – a coisa passa. Em geral, são nos ciclos positivos de Marte com a Lua que a pessoa simplesmente “espana a poeira” e se livra de emoções chatas que não lhe servem mais. E este momento, para você, é agora!

logo agora que eu tou loka? ai, cruzes… rs

ps: não é recomendado ler horoscopo do próximo dia assim que chegar da balada. enfim, loka. mas adorando o despertador. rss





Construindo diálogos por um Brasil fora do armário!

28 05 2010

Por Rídina Motta e Vinícius Alves

Entre os dias 17 e 19 de Maio de 2010 Brasília foi palco de diversas atividades contra a homofobia que culminaram na realização da I Marcha Nacional LGBT.

O evento contou com a presença de 3mil pessoas vindas de todos os estados do País e que marcharam reivindicando a criminalização da homofobia e a aplicação do Plano Nacional LGBT – que visa garantir a cidadania plena a Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais.

Sem dúvidas, a Marcha configurou-se como um grande divisor de águas para o Movimento LGBT Brasileiro, que levou às ruas pela primeira vez em um calendário unificado seus protestos, suas bandeiras e indignações frente ao fundamentalismo religioso e aos setores conservadores da sociedade, que impedem até hoje cidadãos LGBT de terem leis aprovadas e direitos equiparados.

Nos dias 17 e 18 de Maio, a Juventude da ABGLT, juntamente com a UNE, através de sua Diretoria LGBT e dos DCEs da UnB e UCB realizaram o I Seminário UnB Fora do Armário, que contou com a presença de lideranças do movimento LGBT, bem como representantes do Legislativo e do Executivo no Brasil.

Durante os debates foi ressaltada a urgência e importância de trazer para dentro da Universidade a pauta LGBT em defesa da diversidade sexual, colocando o ensino superior como um local estratégico para a operarmos transformações reais que queremos ter na sociedade.

Os debates do UnB fora do Armário reforçaram essa necessidade da luta contra a homofobia dentro do espaço universitário, especialmente quando vimos no último período casos de agressão a estudantes homossexuais, seja nas Casas de Estudantes, nos jornais de Centros Acadêmicos ou por parte da própria homofobia institucional operada por seguranças de algumas Instituições de Ensino (IEs).

Além de denunciar esses atos de homofobia o seminário pautou também a necessidade de mudanças administrativas e curriculares capazes de atender as demandas dos LBGT’s na universidade e na Educação brasileira.

O uso do nome social de travestis e trasexuais é um desses pontos fundamentais de reivindicação, que traz consigo também a reflexão crítica e a denuncia de exclusão que sofrem ainda essas e esses cidadãos no processo educacional brasileiro.

O Seminário UnB Fora do Armário, bem como a Marcha LGBT nos mostram a importância que tem nos organizarmos cada vez mais para dentro e fora da Universidade, rompendo com paradigmas conservadores e heteronormativos que ainda constituem e sustentam setores da sociedade brasileira e de nossas universidades.

A Universidade deve se constituir em espaço público de produção do conhecimento que se volte para a emancipação de todas e todos, rompendo com preconceitos e formando seres sociais reais, capazes de operar as mudanças necessárias na construção de uma sociedade cada vez mais justa, radicalmente democrática e igualitária.

É chegada a hora de pensar a inclusão dessas e desses cidadãos em todos os espaços, com respeito e condições reais e materiais de viver uma cidadania plena, com acesso a educação, trabalho, lazer e tudo mais.

É preciso construir cada vez mais diálogos que voltem-se à sociedade resignificando a diversidade como um valor humano saudável e a ser preservado, no lugar de visto como uma ameaça a ordem, a vida ou a moralidade humana.

Construir uma sociedade e uma Universidade sem homofobia, lesbofobia, transfobia e operar essa transformações reais é papel da Juventude da ABGLT, da União Nacional dos Estudantes e de cada um de nós que acreditamos nessa luta.

Todas e todos rumo a II Marcha Nacional Contra a Homofobia – Maio 2011, até que todas nós LGBT sejamos livres!

Viva a Marcha Nacional Contra a Homofobia!

Viva a Juventude da ABGLT!

Viva a União Nacional dos Estudantes!

Até a vitória!

*Rídina Motta é 1ª Diretora LGBT da UNE
**Vinícius Alves é da Associação Beco das Cores (BA) e membro da Comissão Política Nacional da Juventude da ABGLT